Cálculo de Férias

Salário Bruto
Dias de Férias Valor da hora extra Dependentes Abono Pecuniário Adiantar parcela 13º





O Cálculo de férias é um dúvida de milhares de pessoas todos os meses, e para ajudar a saber quanto irá receber nas férias, você encontrará abaixo uma calculadora para calcular férias onde você deve informar salário, dias de férias , média de hora extra no ano, dependentes para dedução no Imposto de Renda e se deseja adiantamento da parcela do décimo terceiro.

Faltas injustificadas

De acordo com o artigo 130 da Consolidação das Leis de Trabalhos (CLT), o trabalhador que tem carteira assinada tem direito a 30 dias de férias remuneradas depois de completar 12 meses seguidos na empresa, podendo esse período se menor se houver faltas injustificadas, conforme relação abaixo.

- 30 dias corridos de férias, quando não houver mais de cinco faltas no serviço;

- 24 dias corridos de férias, quando houver de 6 a 14 faltas;

- 18 dias corridos de férias, quando houver de 15 a 23 faltas;

- 12 dias corridos de férias, quando houver de 24 a 32 faltas;

Não é descontado nas férias

Existem alguns eventos que dão direito ao trabalhador de não ir trabalhar e não pode ser considerados faltas e por isso não causam descontos nas férias.

Abaixo está relacionado os motivos que não são considerados faltas para quem está na CLT, já que servidores tem algumas regras diferentes.

  • Até três dias depois de casar-se;
  • Um dia após nascimento de um filho;
  • Período licença maternidade;
  • 15 dias de afastamento dentro de 60 dias por motivo de doença/acidente, sem necessidade de encaminhamento para o INSS;
  • Ausência de mais de 15 dias por motivo de acidente de trabalho atestada pelo INSS, mas não superior a seis meses;
  • Um dia, após doação de sangue voluntária;
  • Dois dias quando se apresentar a justiça eleitoral para treinamento ou trabalho em eleições;
  • Período de tempo em que estiver cumprindo exigências do serviço militar;
  • Nos dias em que estiver prestando vestibular, ENEM ou exame para curso superior;
  • Quando comparecer em juízo;
  • Até dois dias depois de falecimento de cônjuge, descendente, ascendente, irmãos ou dependente;

Dividir férias

O art 134 da CLT diz que as férias serão concedidas por ato do empregador, em um só período, nos 12 (doze) meses subseqüentes à data em que o empregado tiver adquirido o direito.

Porém o parágrafo 1º da a oportunidade de se dividir e até 02 vezes em casos excepcionais, mas nenhum dos períodos poderá ter menos de 10 dias e os menores de 18 anos, e maior de 50 anos não podem ter divisão.

Desconto de INSS nas férias

No cálculo de férias, as contribuições previdenciárias acontecem normalmente, seguindo a tambem de alíquota do INSS que pode ser de 8%, 9% ou 11% de desconto para o empregado.

Para conehcer os valores de cada alíquotas do INSS acesso INSS nas férias

Abono pecuniário no cálculo de férias

O trabalhador regido pela CLT tem o direito de vender 1/3 de suas férias caso ele queira, conforme estipulado no art 143 da CLT que diz ser facultado ao empregado converter 1/3 (um terço) do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes.

Essa solicitação tem que ser feita por escrito até 15 dias antes do término do período aquisitivo.

Valor do abono pecuniário

O valor que o empregador deve receber ao vender parte das suas férias é o valor correspondente a esse período acrescido do /3 que a constituição garante.

Perda do direto de férias

As férias não é um direito em qualquer situação, há casos previstos no art. 133 da CLT onde o empregado perde o direto.

Se o empregado deixar o emprego e não for readmitido dentro de 60 (sessenta) dias subseqüentes à sua saída não terá direito a férias em relação a data da primeira admissão.

Permanecer em gozo de licença, com percepção de salários, por mais de 30 (trinta) dias também não da direito a férias no curso do período aquisitivo, assim como deixar de trabalhar, com percepção do salário, por mais de 30 (trinta) dias, em virtude de paralisação parcial ou total dos serviços da empresa.

Para os beneficiários do INSS que estão recebendo auxilio-doença, se tiver percebido da Previdência Social prestações de acidente de trabalho ou de auxílio-doença por mais de 6 (seis) meses,mesmo que descontínuos, não há dias de férias para tirar.